Quarta, 19 de Junho de 2024
11°C 26°C
Entre Rios de Minas, MG
Publicidade

Dores nas pernas podem ser por má circulação causada por obstrução arterial; entenda

Especialista explica sintomas e tratamentos

26/05/2024 às 14h01 Atualizada em 27/05/2024 às 09h47
Por: Redação Fonte: Hoje em Dia
Compartilhe:
Dores nas pernas (Reprodução)
Dores nas pernas (Reprodução)

As dores nas pernas são ocorrências comuns e podem se tornar mais frequentes com o avançar da idade.

Uma situação específica que muitas pessoas enfrentam é conhecida como claudicação intermitente, caracterizada pela dificuldade de caminhar ou realizar exercícios, que melhora com o repouso.

Isso ocorre devido à má circulação nas pernas, especialmente nas artérias responsáveis por levar o sangue para essa região.

A obstrução arterial consiste no estreitamento das artérias, ou seja, o cano que leva o sangue e o oxigênio para o corpo, vai aos poucos sendo entupido até o momento em que totalmente obstruído.

O resultado disso é que as células e tecidos que dependem do sangue dessa artéria que está com problema, começam a ter menos sangue, nutrientes e oxigênio e passam a sofrer com os sintomas, que vai depender da artéria afetada. A obstrução arterial pode acontecer em qualquer artéria do corpo. 

Principais sintomas 

O primeiro sintoma da obstrução das artérias dos membros inferiores é justamente a dor para caminhar, a chamada claudicação intermitente, geralmente ela começa alguns minutos após o início da caminhada.

É semelhante a uma câimbras na panturrilha que começa após algumas dezenas de metros caminhados e piora progressivamente, até que a pessoa precise parar de caminhar.

Alguns minutos após a parada, a pessoa sente um alívio da dor e consegue caminhar novamente. Isso acontece porque ao sair do repouso os músculos necessitam de mais nutrientes, oxigênio e precisam então de mais sangue.

Como as artérias que levam este sangue estão obstruídas, elas não conseguem levar a quantidade necessária de sangue para aquele músculo aí vem a dor. 

A pele fica mais seca e descamativa, o membro pode ficar mais gelado que o normal e à medida que o problema evolui, a artéria vai ficando cada vez mais fechada e a dor passa a ocorrer até mesmo durante o repouso, sem fazer exercício algum.

No estágio final, o sangue não chega no tecido e começa a morrer, então surgem feridas que normalmente ocorrem nas extremidades do corpo, como nos dedos e no pé.

Pode ainda surgir necrose e gangrena do membro, que é quando uma ferida com necrose evolui para infecção. Como você deve imaginar, não devemos esperar chegar nessa fase para procurar o médico.

Fatores de risco 

O mecanismo principal responsável pela obstrução arterial é a aterosclerose, que consiste em um processo de formação de placas ricas em colesterol, cálcio e células inflamatórias na parede das artérias.

Isso acontece em praticamente todos os adultos, alguns mais e outros menos, mas sabemos que quem tem determinados problemas de saúde terá maior risco de formação dessas placas.

Os fatores de risco são:

   Diabetes;
   Tabagismo;
   Hipertensão arterial; 
   Colesterol alto;
   Obesidade;
   Sedentarismo; 
   Casos na família; 
   Idade avançada.

Diagnóstico 

Para realizar o diagnóstico do problema, é levado em conta as queixas do paciente e o exame físico, irá avaliar a pele, temperatura da pele e principalmente o pulso.

Quando a circulação é normal, é possível sentir os pulsos nas artérias das pernas, atrás dos joelhos ou mesmo nos pés, quem tem problemas de obstrução nas artérias das pernas, deixam de ter um ou mais pulsos nas artérias das pernas ou no pé.

Nos casos suspeitos, exames como ultrassom com doppler podem confirmar o diagnóstico. 

Tratamento 

O primeiro passo é tratar dos fatores de risco;

Se o paciente fuma, é essencial parar de fumar. Além disso, o controle da pressão arterial, diabetes e do colesterol podem parar a evolução da doença;

Perder peso e uma dieta balanceada também são muito importantes;

A prática de exercícios físicos, principalmente a caminhada e musculação para as pernas, podem estimular a formação de novos vasos arteriais que vão criar caminhos paralelos para que o sangue possa reverter a situação da doença.

Nos casos mais graves em que essas medidas não são suficientes para controlar a doença e feridas nos pés e nas pernas acabam aparecendo, é necessário a realização de procedimentos cirúrgicos para desobstruir a circulação e existem dois tipos de cirurgias nesses casos:

Endovascular: popularmente conhecida como a desobstrução dos vasos por um cateterismo ou angioplastia. Nessa técnica, é utilizado uma espécie de balão para abrir a circulação por dentro dos vasos;

Ponte de veia safena nas artérias dos membros inferiores: essa cirurgia é mais trabalhosa e mais demorada que a endovascular, por isso é a segunda opção no tratamento das obstruções arteriais. 

Quando as cirurgias para restauração da circulação arterial dos membros inferiores não tem sucesso, a falta de circulação acaba provocando uma piora da ferida nas pernas com piora da dor e muitas vezes, a amputação dos membros, acaba sendo indicada como a última opção para salvar a vida do paciente, já que essas feridas podem evoluir como uma infecção muito grave.

É importante estar atento aos sintomas e procurar orientação médica para investigar a causa e buscar o tratamento adequado.

Para mais informações, assista ao vídeo abaixo.

*Com informações da agência Brasil 61

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Entre Rios de Minas, MG
25°
Tempo limpo

Mín. 11° Máx. 26°

24° Sensação
2.43km/h Vento
34% Umidade
0% (0mm) Chance de chuva
06h31 Nascer do sol
05h23 Pôr do sol
Qui 27° 12°
Sex 27° 12°
Sáb 25° 17°
Dom 28° 14°
Seg 29° 14°
Atualizado às 16h03
Publicidade
Publicidade
Economia
Dólar
R$ 5,45 +0,28%
Euro
R$ 5,86 +0,31%
Peso Argentino
R$ 0,01 +0,36%
Bitcoin
R$ 374,791,69 -0,22%
Ibovespa
120,340,30 pts 0.59%
Publicidade
Publicidade
Publicidade